A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia promove, de 16 de setembro de 2009 a abril de 2010, a programação Tô no Pelô, com cerca de 130 shows e espetáculos nos largos do Pelourinho, projetos de intervenção artístico-urbana nas ruas e praças, além de ações de cidadania, educação e inclusão social. Os 22 projetos foram selecionados por edital do Fundo de Cultura e são realizados com investimento de R$ 2,4 milhões. Os eventos tem ingressos gratuitos ou a preços populares. VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA AQUI.

10 agosto 2010

Encerramento do projeto Vem pra Didá, vem pro Pelô

Banda Didá encerra temporada de ensaios no Pelô nesta sexta (13), com Margareth Menezes


Neste mês de agosto, o Pelourinho se despede de uma das principais atrações que movimentaram o Centro Histórico de Salvador, no primeiro semestre de 2010. O projeto Vem pra Didá, Vem pro Pelô, um dos 22 aprovados no edital Tô no Pelô lançado em 2008 pela Secretaria de Cultura da Bahia, encerra a temporada de ensaios da banda Didá, após ter lotado diversas vezes o palco da Praça Tereza Batista com seu fiel público e diversos convidados. O projeto vai fechar a edição de 2010 com a cantora Margareth Menezes, em show que acontece na próxima sexta-feira (13), às 20h, no Largo Tereza Batista, dentro da programação do Pelourinho Cultural.

Idealizado por uma das líderes da banda Didá, Viviam, e pelo inventor do samba reggae e fundador da Escola Didá, Neguinho do Samba, o projeto Vem pra Didá, Vem pro Pelô já recebeu diversos artistas baianos e nacionais, alguns bastante conhecidos da mídia e outros ainda sem grande destaque, mas talentosos, como salientou Viviam, em entrevista para o Pelourinho Cultural. Ao total, os ensaios já receberam 19 atrações do total de 20 previstas pelo projeto: Daniela Mercury (15/01), Márcia Short (22/01), Nara Costa (29/01), Will Carvalho (05/02), Manuela Rodrigues (19/02), Gal do Beco (26/02), Mariela Santiago (05/03), Ana Paula Albuquerque (12/03), Paula Azevich (19/03), Célia França (26/03), Mariela Santiago (16/04), Rita Braz (23/04), Mariene de Castro (30/04), Cláudia Cunha (07/05), Ganhadeiras de Itapuã (14/05), Noeme Bastos (21/05), Juliana Ribeiro (28/05), Daniela Tourinho (04/06) e Marilda Santana (06/08).

O projeto teve como objetivo principal reiniciar os tradicionais ensaios da banda Didá no Centro Histórico: “há quase dois anos a Didá não tinha a possibilidade de realizar os ensaios no Pelourinho, então, quando o edital surgiu, nós pensamos que seria uma boa oportunidade, pois proporcionaria a infraestrutura e os recursos necessários para a realização do projeto.

Outra importante característica do Vem pra Didá, Vem pro Pelô foi a realização paralela de trabalhos sociais com a comunidade do Pelourinho, voltados para as mulheres, e em especial, para as negras. Além das ações sócio-culturais de caráter contínuo desenvolvidas através da Associação Educativa e Cultural Didá, Viviam destaca que aproximadamente 90% das convidadas dos ensaios eram negras e tanto a equipe de produção quanto as artesãs que comercializavam na praça eram, em 90%, mulheres. Viviam enfatiza ainda que, com a aproximação do encerramento da temporada é possível perceber que as principais metas do projeto foram cumpridas: “A expectativa de gerar renda e trabalho para as mulheres da comunidade, de mostrar o trabalho de ainda não muito conhecidas, de receber cantoras importantes e de difundir a memória de Neguinho do Samba, tudo isso tem sido realizado de uma forma equilibrada. Acho que a gente superou a expectativa”, afirmou.

No que se refere ao público dos ensaios, Viviam sublinha que nas edições anteriores havia predominância de turistas vindos de outros países, estados e cidades. Já em 2010, o baixo valor dos ingressos (R$5,00) proporcionou à população de Salvador maior acesso: “Isso deu muito certo. Pessoas da comunidade, que convivem com a Didá, seja em projetos sociais e cursos, seja saindo no bloco, etc. puderam acompanhar os ensaios. Além disso, pessoas que não conheciam a banda tornaram-se fãs, ao mesmo tempo em que turistas de outros países e cidades continuam prestigiando nossos ensaios. As pessoas assistem aos shows e voltam para assistir outro”.

Viviam ressalta ainda que o projeto Vem pra Didá, Vem pro Pelô agregou diversas experiências à banda: “Mas o mais importante é sentir, é ver que a banda e a comunidade estão caminhando lado a lado. É estranho viver em uma comunidade e sentir que não há integração ou troca”, sublinhou.

Quando interrogada a respeito da expectativa para o show de encerramento, que contará com a presença da baiana Margareth Menezes, Viviam não escondeu a felicidade de receber a conterrânea. Ela complementa destacando que Margareth é uma artista de importância nacional e que tem uma relação de proximidade com a banda Didá: “Já fizemos outros shows com ela, anteriormente. Acredito que o público vai ser grande e a praça deve ficar lotada, do mesmo modo que aconteceu no show de abertura com Daniela Mercury, que também tem uma história de aproximação com a Didá”.

Viviam comentou ainda sobre a importância de a Bahia contar com a iniciativa de editais como o Tô no Pelô: “Eu lamento que diversos outros bons projetos não tenham sido aprovados. Esse tipo de edital é muito bom, pois proporciona que a cultura continue a se movimentar, potencializa os espaços culturais e permite que estilos diferentes de arte sejam produzidos e tenham espaço. Esperamos que esse tipo de política continue e que os editais ampliem o leque”, completou.


Sobre o edital Tô no Pelô

O edital Tô no Pelô – Apoio à Dinamização Artístico-Cultural do Pelourinho, lançado em setembro de 2008 pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult), teve como objetivo apoiar projetos para a ocupação de largos e a realização de intervenções urbanas e ações artístico-educativas que promovam a cidadania no Pelourinho. Nesta edição, foram 22 projetos aprovados, entre eles o Vem pra Didá, Vem pro Pelô.

Dessa forma, foram contemplados projetos de grupos, companhias, coletivos, artistas independentes e/ou instituições do campo artístico-cultural do Estado da Bahia que receberam apoio financeiro e/ou estrutural para desenvolver atividades que se adequassem aos objetivos do edital.


Assessoria de Comunicação PELOURINHO CULTURAL - IPAC
Secretaria de Cultura da Bahia - Secult
Contato: (71) 3117-1509

Fotos: Genilson Coutinho

01 junho 2010

Programação artística do Pelourinho terá novos projetos

Mariene de Castro, Orkestra Rumpilezz, Bitgabott, Os Prequetés, Pelô Pé de Serra entre outras atrações movimentam o coração do Centro Histórico de Salvador (CHS) em 2010.

A programação do Pelourinho vai ganhar novos ares com os 29 projetos selecionados na segunda edição do Edital ‘Tô no Pelô’, iniciativa do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura (Ipac), com recursos do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). Desde a sua primeira edição, o Edital tem garantido a diversidade da programação e shows apresentados dentro Pelourinho Cultural.

Assim como na primeira edição, cerca de R$ 2,4 milhões serão investidos no programa, que visa à dinamização e revitalização de espaços artístico-culturais na região. O edital ‘Tô no Pelô’ contou com participação de 119 projetos inscritos por produtores culturais locais, com o propósito de ocupar esses espaços, com diferentes expressões artísticas e culturais. As categorias incluem ‘Cultura e Cidadania’, ‘Intervenções Urbanas’ e ‘Ocupação de Praças e Largos’. Com essa nova leva de aprovados, a programação artístico-cultural do Pelourinho está garantida até o final de 2010.

A coordenadora do programa Pelourinho Cultural/IPAC, Ivanna Souto, acredita que ambas as edições do edital Tô no Pelô contribuem tanto para o fortalecimento e criação de oportunidades para a classe artística, quanto para a dinamização do bairro e oferta de atividades culturais e de cidadania para a população. “Os editais Tô no Pelô chegaram em excelente hora para os artistas e produtores que criam projetos para estes espaços. Os projetos selecionados em 2008 dialogaram com a programação do Pelourinho Cultural, e foram responsáveis por trazer um público que acabava aproveitando toda a programação. A expectativa para os novos selecionados é que façam projetos com qualidade e que sejam harmoniosos com o ambiente”, acrescenta a gestora.

A adoção da política de editais dentro da programação do Pelourinho renova o pensamento de gestão cultural da Secretaria de Cultura do Estado no Centro Antigo de Salvador, fomentando a produção de artistas e produtores independentes na região. Para a Coordenadora Geral do Escritório de Referência do Centro Antigo, Beatriz Lima, "o edital Tô no Pelô está alinhado com o desenvolvimento sustentável do Centro Antigo, convergindo com as proposições do Plano de Reabilitação, que busca incentivar e apoiar o desenvolvimento de atividades culturais permanentes no Centro Histórico, em especial, com o fortalecimento dos grupos locais".

Entre os 29 projetos aprovados na nova edição do Tô no Pelô estão a música de Mariene de Castro, o Festival de Reggae do Pelô, o Encontro de Sanfoneiros, a Expo Expandida, entre outros. Nas artes cênicas, o espetáculo teatral “Os Prequetês” e o projeto Curta Dança às Seis, trarão movimento e expressão às ruas do Pelourinho. No mínimo 150 artistas devem ser diretamente beneficiados pelo edital, entre músicos, atores, produtores, artistas plásticos e mobilizadores sociais.

Para Alex Pinto, produtor da Orkestra Rumpilezz, a trajetória da banda é extremamente entrelaçada com a vida cultural do Pelourinho. Contemplada no edital, o grupo vai fazer uma temporada de apresentações no Centro Histórico e reforçar a interação com o público através do segundo CD do grupo. “O Pelourinho sempre esteve de portas abertas para a Rumpilezz. Os palcos daqui alavancaram nossa imagem, nos trouxeram popularidade e o reconhecimento dos soteropolitanos. Nossa história com o bairro é antiga e a conquista do edital garante a continuidade desse trabalho”, afirma o produtor.

"Com esta segunda edição do Edital Tô no Pelô, concretizamos o modelo de seleção pública através de editais para a programação cultural do Centro Histórico. Com isso, aumentamos a diversidade de projetos inscritos, garantindo também a qualidade artística dessas atrações que foram selecionadas através de curadoria”, afirma Márcio Meirelles, secretário de Cultura do Estado. Para o secretário, o Tô no Pelô também vai ao encontro da política do Governo para esta região que tem vocação para a Cultura. “O Pelourinho é um bairro especial, Patrimônio da Humanidade. Temos investido tanto na programação quanto na requalificação de diversos espaços culturais da região, que são parte integrante desse patrimônio, a exemplo dos Museus geridos pelo Ipac", completa o secretário.


Dinamizando o Centro Histórico - O Edital ‘Tô no Pelô’ integra as atividades do programa Pelourinho Cultural. Criado em 2007, o Programa já movimentou mais de 1,7 mil apresentações musicais, oficinas e projetos de dança, teatro, literatura, circo, cultura popular, artes visuais, dentre outras linguagens, em sua maioria, gratuitos. Só em 2009, 590 mil pessoas passaram pelas ruas do Pelourinho para curtir sua programação cultural.


O Pelourinho Cultural também promove o Carnaval do Centro Histórico, integra o São João do governo estadual no Pelô e faz um Natal sempre diferenciado a cada ano, além de parcerias de magnitude, como o Cinema 180 graus da Petrobras ou a Semana de Pernambuco com o Governo do Estado de Pernambuco, entre outros. Mais de 1,5 milhão de pessoas conferiram essa diversificada programação do programa desde a sua criação.

Realizado em parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia – Funceb, em sua última edição, o edital Tô no Pelô selecionou 22 projetos culturais, que realizaram 89 eventos e apresentações artísticas em 2009, e ainda, promoverão mais 33 ações no primeiro semestre de 2010, além de três intervenções artísticas urbanas. Pela programação já passaram projetos como o inovador “Pelô de Vanguarda”, que trouxe veteranos como Arrigo Barnabé, Jards Macalé, Lanny Gordin contracenando com nomes mais jovens como Márcia Castro, Vandex e Nancyta e Os Nunca Vistos, ou o “Na Trilha do Choro”, outro projeto selecionado pela primeira edição do edital, encabeçado pelos músicos do Grupo Mandaia. Na primeira edição do edital também foram contemplados projetos voltados para o público infantil, a exemplo do projeto “Mundo Encantado da Leitura”, e espetáculos de sucesso como “Barrela”, da Cia. de Teatro de Gente.


Para Everton Machado, ator da Companhia, foi de extrema importância a temporada de apresentações da peça no Pelourinho, por envolver um trabalho de aproximação com a comunidade e mobilização de estudantes dos colégios próximos ao CHS e de bairros periféricos de Salvador. “Para o espetáculo Barrela, feito inteiramente sem recursos, de forma alternativa, foi importantíssimo ter participado do edital e alcançado um público diferenciado como conquistamos. Tivemos todas as noites de casa cheia, ônibus de estudantes vindo assistir a peça, o que foi muito gratificante, além dos bate-papos. Essa política de editais está sendo decisiva para a partilha de recursos e alcance daqueles que como nós, nunca tiveram acesso a verba pública”, declara o artista.


Atualmente, pelo edital ainda acontecem as apresentações do projeto “Armandinho Convida”, “Vem pra Didá, vem pro Pelô” e “Profissão do Samba”. Dentro dos novos projetos aprovados, organizações do movimento social terão espaço para atuação e formação de jovens e adultos através de projetos como Os Manos do Bem: Arte e Cidadania na Luta Contra a Aids no Pelourinho, do Grupo de Apoio a Prevenção a Aids da Bahia, Diga aí, Povo do Pelô!, do C.R.I.A - Centro de Referencia Integral de Adolescentes e a Oficina-Escola de Conservação e Restauração, proposta pela Irmandade do Santíssimo Sacramento e de Nossa Senhora da Conceição da Praia.

31 maio 2010

Cobertura: Didá recebe Juliana Ribeiro




A cantora Juliana Ribeiro fez a festa do publico no Largo Tereza Batista ao lado da finadíssima banda feminina Didá na noite da última sexta sexta-feira (28).

Juliana Ribeiro participou de mais uma edição Vem pra Didá, Vem pro Pelô que acontece semanalmente no Largo Tereza Batista a partir das 20h sempre com a participação das grandes estrelas da música baiana. O projeto faz parte da programação Tô no Pelô, que conta com o apoio do Pelourinho Cultural, programa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Os ingressos custam R$ 5,00.









05 abril 2010

O IPAC divulga o resultado da seleção do Edital nº. 11/2009 - Tô no Pelô

Foram recebidas 107 inscrições e selecionados 29 projetos, sendo 25 (vinte e cinco) na categoria “Ocupação de largos" (até R$ 60 mil), 1 (um) na categoria “Intervenções Urbanas" (até R$ 50 mil) e 03 (três) na categoria “Cultura e Cidadania" (até R$ 150 mil).


Ocupação de largos (até R$ 60 mil)

Nome do Projeto

Proponente

Total de Pontos

Repertório Opaxorô - Contando Histórias e Orquestra de Atabaques

Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais

97,50


Mariene de Castro Apresenta: Homenagem a Roque Ferreira

Mariene Bezerra de Castro


96,40


Bahia Cidade Aberta II

Isau Barbosa da Silva

96,17

1ª Mostra Latino-Americana de Performances Urbanas do Osso Coletivo Performance

Daniela Félix Carvalho Martins

94,50

Orkestra Rumpilezz

Letieres dos Santos Leite

90,17

Sanguinho Novo

Murilo Fróes Carvalho

89,90

Circuito do Samba – a roda de samba no Pelô

Rosildo Moreira do Rosário

86,00

Na Trilha do Choro II

Luis Roberto Gazineo

83,83

Paz no Pelô

Fundação Ocidemnte - Organização Científica de Estudos Materiais Naturais e Espirituais

82,67

Encontro de Sanfoneiros de 8 Baixos

Paulo César Macedo Leal

81,13

Os Prequetés

José Heraldo Souza Santos

80,33

Curta Dança às Seis no Pelô

Tiago Silva Xavier dos Anjos

80,10

Darktronic – Live

David Giassi Accioly

79,60

Te Encontro no Pelô

Eduardo Sepúlveda Rodrigues

78,00

Romances e Canções

Luiz Antonio Oliveira de Andrade Souza

77,43

Bitgaboott

Lailton Santos Costa

77,37

Sorria... Você está na Bahia”

Alegisandra Maria de Santana Santos

77,20

A Estrela do Menino Rei

Cooperativa de Teatro para a Infância e Juventude da Bahia

77,07

Pelô Pé de Serra

Rita América de Brito Silva

75,93

Orlando Costa – Eu... Porque sou Percussivo

Daiane Jesus dos Reis

75,90

O Lido e o Cantado com Val Macambira

Augusto da Cunha Silva

73,93

Festival de Reggae do Pelô

Sidney Pires Fonseca da Rocha

73,57

I Encontro de Cantadores do Pelô

Maviael Melo dos Santos

71,43

Três na Folia

Cláudia do Socorro Cunha Farias Oliveira

71,27

Cantando com os Compositores

Juliana Batista Ribeiro

70,80





















































.

Ocupação de largos (até R$ 300 mil)


Não houve projeto selecionado


Intervenções Urbanas (até R$ 15 mil)


Não houve projeto selecionado


Intervenções Urbanas (até R$ 50 mil)

Nome do Projeto

Proponente

Total de Pontos

Expo_Expandida

Bárbara Tércia da Silva Almeida

98,00





Intervenções Urbanas (até R$ 100 mil)


Não houve projeto habilitado


Cultura e Cidadania (até R$ 150 mil)

Nome do Projeto

Proponente

Total de Pontos

Os Manos do Bem: Arte e Cidadania na Luta Contra a Aids no Pelourinho

Grupo de Apoio a Prevenção a Aids da Bahia

89,70

Oficina-Escola de Conservação e Restauração

Irmandade do Santíssimo Sacramento e de Nossa Senhora da Conceição da Praia

86,27

Diga aí, Povo do Pelô!

C.R.I.A - Centro de Referencia Integral de Adolescentes

77,70








.

.

.



As propostas não selecionadas ficarão à disposição dos proponentes para retirada na sede do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia - IPAC no prazo de até 60 (sessenta) dias após esta publicação, podendo ser, a partir de então, inutilizadas.


b l o g d e s i g n b y m a y

.