A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia promove, de 16 de setembro de 2009 a abril de 2010, a programação Tô no Pelô, com cerca de 130 shows e espetáculos nos largos do Pelourinho, projetos de intervenção artístico-urbana nas ruas e praças, além de ações de cidadania, educação e inclusão social. Os 22 projetos foram selecionados por edital do Fundo de Cultura e são realizados com investimento de R$ 2,4 milhões. Os eventos tem ingressos gratuitos ou a preços populares. VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA AQUI.

10 agosto 2010

Encerramento do projeto Vem pra Didá, vem pro Pelô

Banda Didá encerra temporada de ensaios no Pelô nesta sexta (13), com Margareth Menezes


Neste mês de agosto, o Pelourinho se despede de uma das principais atrações que movimentaram o Centro Histórico de Salvador, no primeiro semestre de 2010. O projeto Vem pra Didá, Vem pro Pelô, um dos 22 aprovados no edital Tô no Pelô lançado em 2008 pela Secretaria de Cultura da Bahia, encerra a temporada de ensaios da banda Didá, após ter lotado diversas vezes o palco da Praça Tereza Batista com seu fiel público e diversos convidados. O projeto vai fechar a edição de 2010 com a cantora Margareth Menezes, em show que acontece na próxima sexta-feira (13), às 20h, no Largo Tereza Batista, dentro da programação do Pelourinho Cultural.

Idealizado por uma das líderes da banda Didá, Viviam, e pelo inventor do samba reggae e fundador da Escola Didá, Neguinho do Samba, o projeto Vem pra Didá, Vem pro Pelô já recebeu diversos artistas baianos e nacionais, alguns bastante conhecidos da mídia e outros ainda sem grande destaque, mas talentosos, como salientou Viviam, em entrevista para o Pelourinho Cultural. Ao total, os ensaios já receberam 19 atrações do total de 20 previstas pelo projeto: Daniela Mercury (15/01), Márcia Short (22/01), Nara Costa (29/01), Will Carvalho (05/02), Manuela Rodrigues (19/02), Gal do Beco (26/02), Mariela Santiago (05/03), Ana Paula Albuquerque (12/03), Paula Azevich (19/03), Célia França (26/03), Mariela Santiago (16/04), Rita Braz (23/04), Mariene de Castro (30/04), Cláudia Cunha (07/05), Ganhadeiras de Itapuã (14/05), Noeme Bastos (21/05), Juliana Ribeiro (28/05), Daniela Tourinho (04/06) e Marilda Santana (06/08).

O projeto teve como objetivo principal reiniciar os tradicionais ensaios da banda Didá no Centro Histórico: “há quase dois anos a Didá não tinha a possibilidade de realizar os ensaios no Pelourinho, então, quando o edital surgiu, nós pensamos que seria uma boa oportunidade, pois proporcionaria a infraestrutura e os recursos necessários para a realização do projeto.

Outra importante característica do Vem pra Didá, Vem pro Pelô foi a realização paralela de trabalhos sociais com a comunidade do Pelourinho, voltados para as mulheres, e em especial, para as negras. Além das ações sócio-culturais de caráter contínuo desenvolvidas através da Associação Educativa e Cultural Didá, Viviam destaca que aproximadamente 90% das convidadas dos ensaios eram negras e tanto a equipe de produção quanto as artesãs que comercializavam na praça eram, em 90%, mulheres. Viviam enfatiza ainda que, com a aproximação do encerramento da temporada é possível perceber que as principais metas do projeto foram cumpridas: “A expectativa de gerar renda e trabalho para as mulheres da comunidade, de mostrar o trabalho de ainda não muito conhecidas, de receber cantoras importantes e de difundir a memória de Neguinho do Samba, tudo isso tem sido realizado de uma forma equilibrada. Acho que a gente superou a expectativa”, afirmou.

No que se refere ao público dos ensaios, Viviam sublinha que nas edições anteriores havia predominância de turistas vindos de outros países, estados e cidades. Já em 2010, o baixo valor dos ingressos (R$5,00) proporcionou à população de Salvador maior acesso: “Isso deu muito certo. Pessoas da comunidade, que convivem com a Didá, seja em projetos sociais e cursos, seja saindo no bloco, etc. puderam acompanhar os ensaios. Além disso, pessoas que não conheciam a banda tornaram-se fãs, ao mesmo tempo em que turistas de outros países e cidades continuam prestigiando nossos ensaios. As pessoas assistem aos shows e voltam para assistir outro”.

Viviam ressalta ainda que o projeto Vem pra Didá, Vem pro Pelô agregou diversas experiências à banda: “Mas o mais importante é sentir, é ver que a banda e a comunidade estão caminhando lado a lado. É estranho viver em uma comunidade e sentir que não há integração ou troca”, sublinhou.

Quando interrogada a respeito da expectativa para o show de encerramento, que contará com a presença da baiana Margareth Menezes, Viviam não escondeu a felicidade de receber a conterrânea. Ela complementa destacando que Margareth é uma artista de importância nacional e que tem uma relação de proximidade com a banda Didá: “Já fizemos outros shows com ela, anteriormente. Acredito que o público vai ser grande e a praça deve ficar lotada, do mesmo modo que aconteceu no show de abertura com Daniela Mercury, que também tem uma história de aproximação com a Didá”.

Viviam comentou ainda sobre a importância de a Bahia contar com a iniciativa de editais como o Tô no Pelô: “Eu lamento que diversos outros bons projetos não tenham sido aprovados. Esse tipo de edital é muito bom, pois proporciona que a cultura continue a se movimentar, potencializa os espaços culturais e permite que estilos diferentes de arte sejam produzidos e tenham espaço. Esperamos que esse tipo de política continue e que os editais ampliem o leque”, completou.


Sobre o edital Tô no Pelô

O edital Tô no Pelô – Apoio à Dinamização Artístico-Cultural do Pelourinho, lançado em setembro de 2008 pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult), teve como objetivo apoiar projetos para a ocupação de largos e a realização de intervenções urbanas e ações artístico-educativas que promovam a cidadania no Pelourinho. Nesta edição, foram 22 projetos aprovados, entre eles o Vem pra Didá, Vem pro Pelô.

Dessa forma, foram contemplados projetos de grupos, companhias, coletivos, artistas independentes e/ou instituições do campo artístico-cultural do Estado da Bahia que receberam apoio financeiro e/ou estrutural para desenvolver atividades que se adequassem aos objetivos do edital.


Assessoria de Comunicação PELOURINHO CULTURAL - IPAC
Secretaria de Cultura da Bahia - Secult
Contato: (71) 3117-1509

Fotos: Genilson Coutinho

b l o g d e s i g n b y m a y

.